Esta casa foi-me oferecida, em tempos, pela minha namorada como prenda de Natal. Cresceu, sobreviveu e continua a resistir…
É apenas mais um blog que fala de coisas, coisas que, por vezes, estão ligadas ao dia-a-dia de duas mulheres que vivem juntas e acreditam que têm uma vida exactamente igual à da maioria dos casais, apenas com a diferença de lá por casa o tampo da sanita nunca ficar para cima :P


terça-feira, 26 de agosto de 2008

Com'Out


Nunca pensei vir a embirrar com o nome, mas depois de me dirigir a uma quantidade de quiosques e perguntar:
"Tem a Com’Out?"
e levar sempre com a mesma resposta em tom de correcção:
"Time Out?!"
irrita-me!

Num país como o nosso, é um acto de coragem criar uma revista deste tipo, pois tem que sobreviver rodeada de preconceitos, que "impedem" as grandes marcas de publicitar neste espaço os seus produtos. Só assim compreendo e aceito o preço de 4,50€.

Quanto à revista em si, gostei. Contudo, retirava a palavra "tolerância" da capa e substituía-a por "respeito".

Vou ficar leitora assídua.

12 comentários:

Gayja disse...

Andava há uns dias para fazer uma "posta" sobre essa questão da tolerância e concordo contigo.
O incrível é pensar como é que esta questão tão óbvia para tantos passou despercebida aos responsáveis pela revista e seus colaboradores que, parece-me, andam no "activismo" há bastante tempo...
*bjs p/2*

antónio fogaça disse...

gostava de ver essa revista...

Poppie disse...

Afinal até parece que somos cada vez mais @s que não concordam com a palavrinha tolerância... deviamos fazer uma reclamação... e outra p o preço... ui...

a time out tb é engraçada e tem a vantagem de podermos ver online alguns dos conteudos...

Estou a imaginar-me a pedir a revista no quiosque do costume da minha pequenina cidade natal... na volta nem têm...

lost disse...

Acho ridiculo a utilização dessa palavra em situaçães deste género... e então quando esta parte de quem edita a revista, numa quase 'auto-comizeração' (esta palavra existe?? tou a sentir-me trenga :P). É caso para dizer que a palavra 'tolerância' é intolerável!! eheh.

Quanto à revista, não me posso pronunciar porque ainda não tive oportunidade de a ler...

;)

Caramela disse...

Eu desisti de perguntar pela revista, exactamente para evitar ou correcções ou olhares do "outro mundo", por assim dizer. prefiro entrar procurar e se a vir, compra-se. confesso q demora um pouco que a revista aparece nos quiosques um pouco escondida. pergunto-me porquê...
também não és a primeira pessoa que diz que a tolerância devia ser alterada por respeito... considerando o número de pessoas que se queixam em relação a isso, talvez seja boa ideia escrever para lá e pedir para alterarem.

Catarina disse...

Também tenho os dois números e gosto bastante da revista contudo nunca precisei de perguntar por ela porque a vi sempre exposta junto das outras revistas e agora quando passo numa papelaria vou ver sempre se têm a revista só pela curiosidade de ver se a têm mesmo e até agora todas as papelarias a que fui tinham e à vista de qualquer um.
Também não gosto da palavra tolerância e concordo que devia ser mudada para respeito, pode ser que o façam.

@rco Íris disse...

caramela, um dos leitores escreveu para a com'out a falar sobre a dita palavra na capa e a revista nao mostrou mt interesse em mudar, justificando porquê (está logo nas primeiras paginas do nr. 2).

Dantins, eu também gostei. (In)felizmente, nunca tive de perguntar pela revista (dai nao tenho episodios confusos!). Encontro sempre exposta, bem visivel :)

Caramela disse...

@rco iris, li o que um dos leitores escreveu no nº2, estava era a pensar que se forem muitos a pedirem o mesmo talvez seja entendam o ponto de vista dos leitores.

The Swedish Chef disse...

boas!
vou ser do contra. achei a revista muito gay, e pouco lésbica. mas aida nao comprei a nº 2, por isso, vou ver.
nao acho que o projecto se esteja a dar bem. tendo e mconta que estamos no final de agosto, o ~º 2 está a sair muito atrasado. segundo eles têm 15.000 exemplares, que cobre pelas minhas contas pouco mais de lisboa e porto.
acho a revista pobre e mconteúdos e pouco esclarecedora, no sentido de achar que há ainda um trabalho de esclarecimento ao grupo lgbt e nao lgbt. sinto que existe ignorância a mais por todo o lado. analisando a publicidade, e o tipo de gadjets que lá se encontra e pelo preço, diria que é uma revista atirada para um publico -alvo trabalhador com rendimentos acima da média.
a publicidade, sao várias paginas mais direccionadas para homens do que pra mulheres. e os gadjets tambem...mas´foi o nº 1.... vamos la ver , se o 3 sai a tempo e horas :) e a nº 2, a ver se compro amanhã.
beijos e abraços.

fiel.jardineira disse...

Tenho que procurar a revista... Bjs

Dantins disse...

gayja
De facto, não faz sentido uma revista direccionada para a comunidade LGBT colocar, logo na capa, a palavra tolerância.
Bjos das duas

antónio fogaça
Eu empresto-te os dois números para dares a tua opinião.

poppie
Eu sou a mulher das reclamações. Tudo o que me indigna faz ccom que envie uma reclaçãozinha, pode não produzir efeito, mas vou enviar um mail à revista.
Quanto à Time Out, sou assinante e gosto da revista, dá para estarmos atentos à agitação cultural da nossa cidade.
Eu dei a volta aos quiosques da minha zona, mas desta vez só a consegui encontrar nos escaparates do hipermercado Continente.

lost
A conotação da palavra tolerância parece só ter passado despercebida aos responsáveis da revista.

caramela
Os hipermercados também têm a revista, podes tentar comprar aqui.
Vou enviar um mail, pode não resultar, mas se tod@s fizessemos o mesmo, pelo menos entupiamos-lhe a caixa de correio :)

catarina
Na minha zona desta vez não a consegui encontrar o que me surpreendeu porque eu moro no centro da Amadora.

@rco íris
Pois... Eu como tive que perguntar, levei sempre com a pergunta do Time Out, mas de facto as sonoridades são idênticas.

the swedish chef
Apesar de ficar leitora fiel da revista, concordo com as tuas críticas. Também achei a revista demasiado gay e direccionada para um público com rendimentos acima da média, já para não referir o preço da própria revista.
Os conteúdos sofrem de algum desgaste, são matérias que já estão mais que "batidas", faz falta ter a capacidade de trazer novos temas.
Quanto à publicidade, acho que, ainda, não há a coragem das grandes marcas em publicitarem muma revista deste género por preconceito.
Vamos acreditar que estas falhas vão ser corrigidas.

fiel jardineira
Experimenta nos hipermercados.



Bjos, abraços e cumprimentos para tod@s

Pugo disse...

Quanto à revista não me posso pronunciar muito pois tenho as duas lá em casa mas só as vi mto por alto...ainda não tive tempo de ler fosse o que fosse :S :S :S

Quanto ao preço, nós optamos pela assinatura, assim ela chega sempre a tempo e horas e sempre se poupa alguma coisa pois cada edição acaba por sair mais barata!!!

;) Beijoca!