Esta casa foi-me oferecida, em tempos, pela minha namorada como prenda de Natal. Cresceu, sobreviveu e continua a resistir…
É apenas mais um blog que fala de coisas, coisas que, por vezes, estão ligadas ao dia-a-dia de duas mulheres que vivem juntas e acreditam que têm uma vida exactamente igual à da maioria dos casais, apenas com a diferença de lá por casa o tampo da sanita nunca ficar para cima :P


quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Está aberto o debate


Hoje resolvi lançar um assunto para discussão.

O que consideram mais complicado/difícil:

Um filho revelar a sua homossexualidade perante os pais ou um(a) pai/mãe revelar a sua homossexualidade a um filho?

14 comentários:

Nina disse...

Achas mesmo que há uma resposta a essa pergunta? Depende dos pais, dos filhos, do contexto familiar.

Bianca disse...

Se analisarmos no nosso actual contexto, geração/mentalidade, não acho difícil, acredito que os actuais jovens mais dificilmente confessam que fumam. Fumar não é bem visto, é sim já um nicho na sociedade. Já a homossexualidade é moda, é giro, é cool e até aparece em toda a telenovela! Ora já os pais, por seu lado interpreto-os mais reservados, ponderados, tendem a salvaguardar (como todas as gerações passadas) as suas crias, julgando não existir necessidade, e será que existe? Talvez consoante a idade/maturidade dos filhos.

Poppie disse...

Acredito que seja a segunda hipótese. Claro que há sempre situações em que isso pode acontecer de diferente modo.

A Miúda dos Abraços disse...

Depois de imediato dar-te uma resposta, ocorre-me que isso não é relevante. O que interessa é que no geral é muito difícil e as pessoas se sentem esmagadas.

Su disse...

Pensado no geral da questão sem particularizar em contextos específicios, posso dizer que a será mais complicado para os pais sairem do armário. Explico porquê...acredito que o pior medo é aquele que temos cá dentro, e tendo em conta (generalizando) as diferenças geracionais (felizmente) existem muito mais preconceitos enraizados na geração dos pais do que na geração mais recente - filhos. O combate interno dos pais para sairem do armário é geracionalmente por razões culturais/sociais tendencialmente maior.

pinguim disse...

Ambas dependem de muita coisa...
Mas, em princípio, a segunda hipótese poderá ser mais difícil, mas de mais fácil aceitação.
No caso dos jovens, poderá ser mais fácil, mas a aceitação será mais retardada.

Estrelaminha disse...

boa tarde!

na minha opinião a 1ª hipótese é a mais complicada.
nós, adultos, temos mais experiência, sabemos como lidar com as nossas crias. aos poucos, vamos preparando com abordagens do tema, e quando chega a hora... é mais fácil a aceitação dos miúdos.

beijocas

um quarto para duas disse...

Acho dificil qualquer uma delas. Em ambos os casos há muitos factores envolvidos, tudo depende de caso para caso.
Bjs

chrysaliis disse...

Good question..

Mas como dizia a Nina lá em cima, a mim parece-me que depende de muitos factores, sobretudo o contexto familiar.

Que tipo de abertura existe na família para abordar esse género de assuntos, qual a mentalidade predominante. Quer para um caso, quer para o outro.

beijos

rv disse...

depende dos condicionalismos, m nunca é fácil em ambos os casos

Xu disse...

Bom assunto:) a saída do armário não é fácil para ambas as situações. Como a Nina diz, muito bem, depende de diversos 'factores'.
Em relação a mim, apesar de ainda não ter dado o passo acho que a minha mãe desconfia... Mas está a ser difícil querer alterar a minha situação e por diversos motivos e acho que estou na fase de "Don't ask don't tell". Por vezes tenho a noção que sou eu que complico demasiado a situação em si! E se calhar tudo se resolve com uma boa conversa.

Dantins disse...

Eu lancei esta questão porque é um tema que já tenho debatido entre amigos e as opiniões variam.

Como a Nina diz sei que “não há uma resposta a esta questão”, cada caso é um caso… Como referiram depende de muitos condicionalismos, da idade, do contexto em que estão integrados, das mentalidades, do tipo de relações familiares…

Se é uma criança que nasce ou é ainda muito jovem com um(a) pai/mãe homossexual, como a Estrelaminha refere “aos poucos, vamos preparando com abordagens do tema, e quando chega a hora... é mais fácil a aceitação dos miúdos” No entanto, quando se trata de filhos mais velhos, adolescentes eu acredito que seja mais difícil para os pais fazerem esta revelação, muitas vezes os filhos até têm uma boa aceitação da homossexualidade, mas perante uma situação com um dos seus pais não o aceitam/compreendem.

A Bianca refere uma outro factor que também já abordamos por aqui “… a homossexualidade é moda, é giro, é cool e até aparece em toda a telenovela!” o que faz com que os jovens hoje em dia se sintam mais à vontade para saírem do armário, a sua irreverência natural facilita muitas vezes a sua revelação, o mesmo já não acontece com os mais velhos que tendem a tomar decisões mais ponderadas.

A minha opinião vai de encontro ao que a Su menciona “o combate interno dos pais para sairem do armário é geracionalmente por razões culturais/sociais tendencialmente maior”, mas isto não é uma norma.

Para terminar e citando a Xu “por vezes tenho a noção que sou eu que complico demasiado a situação em si! E se calhar tudo se resolve com uma boa conversa”. Nós temos que ser os primeiros a encarar a nossa homossexualidade com naturalidade perante os outros e a não ter medo de a “declarar”…

Muitos obrigada a todos por participarem no “debate” :D

Compro um descomplicador disse...

Em termos gerais, já tudo foi dito. Depende das mentalidades, mas ambas as revelações são complicadas!! No entanto a que "sofro na pele" é a de mãe que partilha tudo, excepto a sua homossexualidade...cobardia, medo do que vem a seguir...da indiferença, da chantagem, da hostilidade.
Reconheço que, nas situações mais simples, complico o que não é complicável, mas nesta situação acho que nunca mais vou descomplicar. O facto de desconfiar ainda me deixa mais desconfortável, dá espaço para pensar sózinha...Triste, muito triste não poder ser "eu" com uma das poucas pessoas de quem amo. A minha filha!!

fiel.jardineira disse...

Vivido na 1ª pessoa, e nas minhas circunstancias, assumir perante os pais pareceu-me inevitável e necessario para a minha identidade e tranquilidade enquanto pessoa. Correndo todos os riscos, mas sabendo que eles sao adultos e têm direito a aceitar ou não, tal como eu. Somos todos adultos...Já perante as minhas filhas me sinto mais cautelosa, não só pela tenra idade delas,como pelos condicionalismos e pressões que podem vir a reflectir-se na vida delas perante a sociedade actual...no entanto a homossexualidade não é escondida nem tabú entre nós, apenas ainda não chegou a altura certa para eu assumir responsavelmente perante elas, que amo uma mulher... Obrigada pelo tema tão pertinente.
Abraço às duas.