Esta casa foi-me oferecida, em tempos, pela minha namorada como prenda de Natal. Cresceu, sobreviveu e continua a resistir…
É apenas mais um blog que fala de coisas, coisas que, por vezes, estão ligadas ao dia-a-dia de duas mulheres que vivem juntas e acreditam que têm uma vida exactamente igual à da maioria dos casais, apenas com a diferença de lá por casa o tampo da sanita nunca ficar para cima :P


segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Ainda o casamento

A legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo deixa-me muito feliz, mas sinto um sabor amargo. Não concordo com a desculpa que temos que dar um passo de cada vez, concedem-me o direito a casar, mas deixam de fora a adopção. As duas coisas deveriam de ser concedidas em conjunto, dão-me o direito de constituir uma família, mas não de a alargar.

Existem algumas vozes contra a legalidade deste casamento sem adopção, O Professor Marcelo defende que esta é uma violação do princípio de igualdade já que não vê razões específicas para um casal heterossexual poder adoptar e um casal homossexual não. Segundo ele, esta questão pode levar o Tribunal Constitucional a vetar a lei por violação do princípio da igualdade, uma vez que agora poderemos passar todos a casar, mas dentro desta igualdade vigora a desigualdade de um grupo estar impedido por lei a adoptar.

13 comentários:

rv disse...

ora pois eu concordo plenamente c o q dizes, pois para o século em q vivemos já não há paciência p a situação de " um passo de cada vez", foi exactamente a proceder desde sp dessa maneira que por isso somos um povo cobarde,falso moralista e mt ignorante, pq a maioria não sabe m ainda existe mt gente q nos confunde com potenciais pedófilos; há pouco tempo num jantar de natal entre colegas, puxei o assunto do casamento gay, ao que uma colega com 26 anos licenciada e a trabalhar em educação, me respondeu q não sabia ter uma opinião definida pq estava preocupada( com o q esta gente se preocupa)com o facto dos bisexuais se poderem casar tanto com homens como com mulheres. Como é óbvio, perguntei-lhe se ela saberia q isso seria possível mas com um de cada vez, ao que me respondeu q achava q a liberdade é tal q neste momento até seria possível com os dois ao mesmo tempo. É claro, que a época natalícia a mim n me diz nada m sim a concretização da sua mensagam ao longo do ano e que por isso aquele jantar de natal acabou logo ali pq me mandei ao ar com tanta ignorância sobretudo em quem tem à sua responsabilidade uma turma de 25 alunos como pela própria geração a q pertence;

a ana do 2º esquerdo disse...

a ignorância das pessoas é ofensiva.

esta lei, poderia ter sido pensada com mais calma. claro que ficarei contente com a possibilidade de me poder casar...mas nós que já esperámos tanto tempo, mais uns meses e ficava como deve de ser.

ponho muita responsabilidade na comunidade lgbt. penso que seja altura das pessoas serem mais activas. a sociedade precisa de ver que nós existimos ao lado das casas deles.

eheheh quem vai ao sai de mota este ano???

Dantins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dantins disse...

rv
Chocam-me imenso pessoas desse género, ainda mais quando têm essa idade.
Mais que preconceito, esses "pensares" revelam uma total ignorância das coisas.
Sinceramente, tenho receio de que a questão da adopção nunca venha a sair da gaveta, o casamento foi uma forma do governo mostrar que está muito à frente e que se distancia de alguma forma da direita. Quanto à adopção não me parece que venha a ter a coragem ou tinha-o feito agora.

ana do 2º esquerdo
Concordo, preferia ter esperado mais uns meses e aprovarem as duas leis em conjunto, mãs não sei se havia intenção (por parte do governo) de o fazer.
Quanto à comunidade LGBT ser demasiado passiva, estou totalmente de acordo! É necessária uma maior visibilidade o que nós poderiamos fazer no nosso dia a dia junto daqueles que estão à nossa volta, não só naqueles dias marcados em que vamos para a rua.

Quanto ao "sai de mota" estou a contar participar, mas a penantes, ou bicicleta também conta?
Por falar nisso, espero que este ano decidam fazer o desfile e o arraial no mesmo dia!!!!!!! Só assim conseguem uma maior participação!

Su disse...

humm....dá que pensar! Porque é que o governo não apresentou a proposta "completa"- casamento+adopção? A justificação prende-se ao facto de não ter sido apresentado a parte da adopção como assunto a legislar no programa deste PS. Outras são o facto de a legislação do casamento não ser vinculativa no que a filiação diz respeito. Esta última é uma falsa questão, quando o casamento surge como um factor positivo aquando o processo de adopção. Será que é possível a lei ser vetada por se produzir com esta uma descriminação para com os casais homossexuais? E se isto acontecer quem beneficia com tal? O PS que se faz de vítima e acusa a direita de opressora e retrógada? A direita ganha porque parece que agora reinvindica a favor da adopção por parte dos casais homossexuais na desculpa que a lei nao pode passar porque descrimina? Vai para aqui um embruglio (epah! não sei escrever isto!)....
A "luta" não termina aqui, longe disso...

Su disse...

A maior visibilidade por parte do movimento lgbt é uma daquelas coisas que vai cair bem junto daqueles que dizem que os homossexuais são uns depravados exibicionistas!
A luta faz-se na vida de cada um, na afirmação da nossa identidade no nosso envolvente. Os arraias e as marchar são eventos pontuais que nem sempre transparecem, por meio dos media, aquilo que na realidade são e simbolizam e é essa imagem que muitos dos "retrogados" moralistas usam para pintar os homossexuais de gente sem valores, promíscuos e afins...
Mas todo este debate que se criou à volta do casamento entre pessoas do mesmo sexo fez surgir perante a opinião pública não só estas figuras sinistras do tempo da maria caxuxa mas também gente e gente que com pés e cabeça se colocou ao lado de uma causa, independentemente da sua orienta~ção sexual, que muito trouxe a esta causa.
um obrigado a todos

Papoila e Orquídea disse...

'Os conservadores dos registos civis querem saber se podem recusar a realização de casamentos entre pessoas do mesmo sexo, alegando objecção de consciência.' in diario de noticias...

Mas isto não pára...?!

Saberão eles que estão, neste momento, a casar mulheres que serão vítimas de violência domestica? Saberão que 2/3 dos casamentos que fazem terminam em divórcio/separação?

Que visão tão distorcida do mundo.

Argh. Esta superou tudo aquilo que estava a espera. Vamos sugerir-lhes que faltem ao serviço nos dias em que se realizam casamentos de duas pessoas do mesmo sexo .I'd like to see that.

pinguim disse...

Infelizmente tenho que concordar com o Marcelo na questão da inconstitucionalidade.
Quase de certeza a lei terá de ser reformulada com a inclusão da possibilidade de adopção.

antónio fogaça disse...

uma proposta de solução foi deixada pelo antónio arnaut.

http://dn.sapo.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=1462870

Dantins disse...

Su
Vai por aí um embrólio enorme, agora resta-nos esperar qual vai ser o resultado disto tudo.
Quanto à visibilidade que se tem dado ao casamento, acho bastante positivo (apesar das barbaridades que vamos ouvindo). Concordo totalmente contigo "a luta faz-se na vida de cada um, na afirmação da nossa identidade no nosso envolvente" o que não significa que os arraiais e afins não sejam importantes.

Papoila e Orquídea
Essa ainda não tinha ouvido, que disparate!!! Vou começar a alegar o factor de objecção de consciência para deixar de fazer o meu trabalho :P
Sinceramente, este foi dos maiores disparates que ouvi nos últimos tempos.
Já estou a imaginar os senhores do registo a recusarem-se registar uma criança com o nome de Liedson por objecção de consciência uma vez que são do benfica, será mais que justo tendo em conta a posição relativamente ao casamento :D

pinguim
Não tenho dúvidas de que a lei terá que ser reformulada, só resta saber em que termos e se será mais positivo para nós.

Dantins disse...

antónio fogaça
Sinceramente a palavra casamento, para mim, não é uma exigência. O importante é equiparar em termos de direitos a união entre duas pessoas do mesmo sexo.
Mas nestes direitos incluo obrigatoriamente o direito a adoptar.

B' disse...

[Deixando de lado o facto de que estes assuntos nem deveriam de ser discutidos - devia de existir igualdade e pronto.]

Como a adopção em Portugal só é permitida a pessoas casadas (espero não estar em erro) uma vez permitido o casamento entre pessoas do mesmo sexo, deveria de ser tambem permitido a adopção por parte destes casais. E não há nenhuma razão logica para tal não acontecer - assim como não há/havia para os casamentos entre pessoas do mesmo sexo não serem permitidos. (e por isso mesmo já vão ser permitidos)

No entanto, é isso que vai acontecer. Dão um direito, mas com restrinções, como que para enganar os mais distraidos, ou talvez para calar os homossexuais durante uns tempos...

Mas como não é a razão que manda, mas sim o poder, lá nos teremos de sujeitar mais uns tempos à desigualdade. [Ou não, podemos começar a acabar com as desigualdades no dia a dia, se lutarmos por isso. Parece pouco, mas se todos o fizermos...]

Curiosidade: Eu entendo que o mais importante seja equiparar em termos de direitos a união entre duas pessoas do mesmo sexo relativamente à união entre duas pessoas de sexo diferente. Mas não será tambem importante ser chamado de casamento para ambos os casos? É que outra palavra só teria sentido se se tratasse de coisas diferentes, o que não é o caso.

Dantins disse...

B'
A adopção também é permitida a pessoas solteiras, desde que tenham mais de 35 anos, o que significa que presentemente tenho as condições para adoptar, mas se me viesse a casar com uma mulher deixaria de o poder fazer.
A palavara casamento faz demasiada confusão a muita gente, tens razão é isso que estamos a reinvidicar, não fará sentido inventar outro nome.